terça-feira, 7 de abril de 2015

ERRANTE



Íngreme é a estrada de retorno ao meu interior

Há obscuridade, confrontos, superação

Imenso é o espaço de sublimação

Inteligente é o pensamento

Que se equilibra entre a razão e a emoção

Desliza na gangorra dos pensamentos

Ideais e projetos em prospectiva de vida

Tal como uma cascata alimenta sonhos

Que investiga possibilidades

Em tempestade de perguntas sem respostas

Cultua o azul do silêncio

Desfaz-se do cenário cinza da vida

Ao saber-se no sabor de alma errante

Que se entrega plenamente a amar

Com a energia de um bem querer

Ainda que ausente... presente


Célia Rangel




15 comentários:

  1. Olá, querida Célia
    Um espaço enorme para sublimar... Bem assim acontece com a gente...
    Uma abençoada Oitava de Páscoa pra vc e os seus queridos!!!
    Bjm pascal

    ResponderExcluir
  2. Lindo, Célia! Conforme o tempo passa, aumenta o número de pessoas queridas ausentes, mas presentes. Feliz de quem percebe essas presenças e nelas encontra alegria de viver. Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Encantadora reflexão; foste feliz além de criativa, Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Oi Célia que bonito texto.
    Somos felizes de poder preservar esse amor pelos nossos ausentes, que sempre estarão presentes em nossos corações.
    Uma ótima noite.
    Beijos,
    Mariangela

    ResponderExcluir
  5. Lindo poetar amiga Célia, as coisas do coração, da alma, as pessoas ausentes sempre presentes em nosso pensamento, viver é mesmo aprender a lidar com tudo isso, aceitar o que não se pode mudar, errar e aprender!
    Nossa alma errante!
    Abraços linda amiga!

    ResponderExcluir
  6. Um poetar repleto de questionamentos, bastante reflexivo, um convite a nos olharmos para dentro de nós, gostei bjos Luconi

    ResponderExcluir
  7. Que seja feliz e proveitosa a jornada... abraços.

    ResponderExcluir
  8. O amor nos coloca no estado presente, e faz das pernas asas! abraços

    ResponderExcluir
  9. Sublime, magnífico, profundo...
    Os pensamentos sempre nos conduzem aos Amores sempre presentes.
    Amei, Célia.


    Beijos


    SOL

    ResponderExcluir
  10. Este caminho que parece ser perigoso é maravilhoso... aberto aos corajosos. Bela poesia, Célia!

    ResponderExcluir
  11. Célia,

    com que facilidade você borda seus poemas, com que simplicidade expõe seus melhores sentimentos e como eu gosto de ver isto sempre junto por aqui.

    E não tenha dúvida de que uma ausência marcante é muito mais presente do que muitas presenças indesejáveis.

    Quer que e minta?

    Um abração carioca, amiga virtual.

    ResponderExcluir
  12. Olá, Célia.

    Belo poema sobre esse caminhar errante/"acertante" das ausências presentes nessa "gangorra dos pensamentos".

    Um abração e um bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  13. ~ ~
    ~ ~ Errante introspeção de quem sabe amar...

    ~ ~ Grata pelos ótimos momentos de leitura...

    ~ ~ ~ Dias ternos e agradáveis. ~ ~ ~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
  14. Lindo este seu jeito der ir chegando até declarar seu eterno amor! Beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.