domingo, 12 de abril de 2015

Poema acalentador







Quando tudo lhe parecer obscuro,

Lembre-se do olhar criança...

Que o fazia sorrir e brincar

De tudo, e com todos.

Era mágico!

 

Aliene-se, ainda que por curto espaço de tempo...

Das tristezas, dúvidas e inquietações.

Busque na oração ao Papai do Céu,

A ternura do colo da Boa Mãe.

 

Rebele-se com as regras e mandos que o escravizam.

Supere os limites do seu horizonte mesquinho.

Sonhe, lute e realize, suas conquistas, o encantarão.

 

Vale o renascer diário,

Vale o amor recebido e doado,

Vale o conhecer, o aprender, o ensinar,

Vale a nobre partilha da vida pela vida,

Vale embalar nossa criança interior.

 

Célia Rangel

14 comentários:

  1. Olá, querida Célia
    Muito lindo o seu versejar com toque singelo!!!
    Bjm pascal

    ResponderExcluir
  2. ~
    ~ ~ Que amoroso, Célia!

    ~ Um incentivo ao carinho e ternura que nos devemos.

    ~ Um poema muito belo, com um tema muito original.

    Abraço, desejando dias amorosos, ternos e realizados.
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
    ~ ~ ~

    ResponderExcluir
  3. Boa Tarde Célia!
    Que belíssimo poema!
    Que Deus a abençoe!
    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  4. A magia de um sorriso de criança....Muito bonito, Célia. Aprecio o seu otimismo. Que bom!

    Beijinhos e boa semana.



    ResponderExcluir
  5. Olá, Célia.

    Acordar nossa criança interior e recolorir essa paisagem desbotada da falta de percepção adulta.

    Um abração e uma boa semana.

    ResponderExcluir
  6. OI CÉLIA!
    EM ALGUNS POEMAS, NOSSAS ALMAS COMO QUE AFLORAM E NESSE, ME PARECE, ESTAR MUITO DA TUA.
    PARABÉNS AMIGA.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Teu poema é realmente acalentador.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  8. Nossa criança interior precisa sempre estar acordada, pois só com ela podemos ver o mundo de forma diferente.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  9. E vale muito, Célia. Sem nosso lado criança, a vida perde a graça. Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Que maravilhoso poema Célia.
    Precisamos mesmo da nossa criança interior,do colinho aconchegante de nossa mãe, dos ensinamentos e olhar amoroso e reconfortante do nosso Pai. Pra vermos o mundo com bons olhos!
    Grande abraço, e uma linda semana!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  11. Olá Célia!
    Esse realmente é um poema acalentador!
    Agora quando chega a noite e os pensamentos as vezes "pesam", foi bom tê-lo lido!
    Tenhas uma boa noite!!! E uma ótima sema!!!
    Beijos e beijos

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Bom dia Célia.. e tb temos de nos voltar para dentro de nós e a criança que lá está poder se sentir viva.. por horas esquecemos dela.. tudo já esta em nós para que a alma fique acalentada.. bjs

    ResponderExcluir
  13. Olá, querida Célia, pois é, o último verso aportou por aqui para dar ânimo, ajudar. Depois de uma cirurgia de emergência ficou só um vazio, uma vulnerabilidade, um desânimo.
    Lindo poema. Saudades de ler os amigos.
    Um beijo!

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.