sábado, 13 de junho de 2015

INFÂNCIA CONTAGIANTE...





















Aprendendo com o imaginário infantil

Outro olhar para o que chamamos de vida,

Há todo um mundo de magia, de mentirinha, do faz de conta.

Uma briga do inconsciente com o consciente

Difícil entendimento entre essas linguagens.

A criança não pensa no amanhã, se vai viver ou não...

O “daqui a pouco” ou “o agora” se fundem,

Na inexistência de tempo e espaço sem nenhuma medida.

Isso não é o que dá sentido à sua vida.

Há uma imensa cumplicidade no brincar,

Fala e se escuta, como se fora várias ao mesmo tempo...

Não há limite entre o sonho e a realidade.

Enxerga o interior de um adulto,

E contesta-o com inúmeros ‘por quês’ (?

Sua metodologia é a da descoberta,

Incorpora o que gosta, dispensando o que não,

Pesquisa sua curiosidade sempre com objetividade.

Depois a adapta em rica história de vida...

Viver, brincar, aprender, errar e ensinar!

Esse ‘serzinho’ nasce sabendo,

Apenas desenvolve quando lhe damos espaço.


Célia Rangel




18 comentários:

  1. A vida nos dá presentes e poder observar as crianças ,cada vez mais espertas, é um deles! Lindo te ler! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. ~~~ Um poema encantador...

    ~ Dizem que teremos uma segunda meninice...
    ~ ~ Deus nos preserve com saúde até lá. ~ ~

    ~~~~~ Abraço amigo. ~~~~~~~~~~~~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
  3. Uma criança, é o futuro em perspectiva, e é o mais belo poema vivo que Deus escreveu.
    Um abraço e bom Domingo

    ResponderExcluir
  4. Olá Célia,

    E a sinceridade e franqueza, plenas de pureza? Dou risada quando elas são questionadas e dizem de pronto o que pensam sem qualquer receio de magoar ou impressionar. Penso que as crianças de hoje já trazem consigo uma gama de conhecimentos (de outras vidas?), que vão se descortinando paulatinamente e que nos assombram com lições e exemplos de vida. De fato, ao observarmos as crianças, aprendemos a olhar tudo de uma maneira diferente, além de mais bonita e colorida.
    Você disse tudo através deste lindo texto poético. Uma leitura perfeita dessas criaturas iluminadas, que encantam a vida dos adultos.

    Ótimo domingo.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Querida Célia , desculpe só hoje está aqui agradecendo por ter ido comemorar comigo o meu aniversário. Muito obrigada, saiba que o meu dia foi bem mais feliz com seu carinho e as lindas palavras que me emocionaram.
    Abraços da amiga Lourdes.

    ResponderExcluir
  6. Célia, a nossa capacidade de aprender a ser modernos, é muito estimulada com os miúdos, com os netos. A minha neta me tem mesmo como eu tenha a idade dela.
    Acontece que as brincadeira ela, já me inspirara um livro, que publiquei, em capítulos num jornal e depois saiu livro.
    Viva a miudagem!
    beijos

    ResponderExcluir
  7. Mas tantas e tantas há a quem tudo isso é negado! Até dói!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. As crianças só lidam com o futuro em termos de presentes e artes, Célia. Os presentes são os de aniversário e Natal. "Falta muito pro Natal, mãe? E pro meu aniversário?" Incapazes de suportar essa ansiedade infantil, os pais modernos presenteiam os filhos o tempo todo e assim prejudicam o desenvolvimento do autocontrole da garotada. As artes são aquelas que levam as mães a ameaçar: "Você fez arte e vai ver só, quando seu pai chegar em casa". Palmas pro seu poema! Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Conseguir o espírito de criança é uma conquista que nos escapa demasiadas vezes ( e é pena!).
    Ser criança é ter vida do hoje, do agora, sem amanhãs no pensamento.
    Lindo, Célia.


    Beijos


    SOL

    ResponderExcluir
  10. Ahh que sentimento de nostalgia magnifico!!!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  11. Contagiante mesmo... que essa epidemia se espalhe. Abraços, Célia.

    ResponderExcluir
  12. Tento, sempre, não deixar essa criança (que existe ainda em mim) desaparecer.
    Gostoso por demais essa inocência.
    Linda poesia Célia.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Bom dia Célia..
    época mágica que deveríamos voltar a viver mesmo agora adultos..
    toda a pureza se encontra nesta idade..
    boas lembranças da minha.. abraços e lindo dia

    ResponderExcluir
  15. Oi querida amiga Célia, ah, que nostalgia deu agora...
    Tenha uma ótima semana, bjs e fique com Deus!!

    ResponderExcluir
  16. Olá,Boa noite, Célia
    verdade, muitas coisas que nos valorizariam e, sobretudo, nos ajudariam a ser mais felizes, podemos aprender com as crianças, pois, infelizmente, muitos perdem a magia da existência e a pureza,e com ela, o poder de transformação, pois, vivemos em uma época em que poucos conseguem se dedicar minutos diários a cada filho e tão pouco damos espaço para seu desenvolvimento... temos que fazer de tudo para que possam saber que para nós são uma prioridade e que nos encanta verdadeiramente estar com eles, com sua presença contagiante, para , inclusive, nos ensinar...
    Agradecido pelo carinho, feliz semana, belos dias,beijos!

    ResponderExcluir
  17. Não mato de nenhuma maneira a criança que habita meu ser.
    Lembro Casimiro:
    "Oh que saudades eu tenho
    Da aurora da minha vida.
    Da minha infância querida
    Que os anos não trazem mais." Meus Oito Anos, Casimiro de Abreu

    ResponderExcluir
  18. Não podemos deixar nunca morrer a criança que vive em nós! Belo poema! Beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.