sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Pátria & Contrastes




Cantava-se ..."ou ficar a pátria livre... ou morrer pelo Brasil"...
Canta-se a liberdade do quê?


Poluímos a pátria
Biotas somos todos à espera de uma bioética,
para sobrevivência da biodiversidade.


Desgovernanças mil...
..."liberdade... liberdade"...
..."abre as asas sobre nós"...
Na mistura republicana de liberdade e subjugação,
postam-se imagens cínicas da corrupção e marginalidade.


Na esperança ..."que das lutas na tempestade... ouçamos a sua voz"...
Abaixo o cidadão indolente que espera algum milagre...
Mãos e neurônios a postos: ação inteligente é o que nos pede nosso querido Brasil.


Abaixo todo aquele que faz do poder, seu corrupto meio de vida,
assaltando bolsos honestos que lutam pela sobrevivência.


Façamos valer o conceito de bom cidadão!


Que, os bons ventos de um novo tempo, de um novo olhar, tragam sementes revitalizadoras no campo da ordem, da justiça, do progresso, e de uma renda mais justa e humana!


Célia Rangel

12 comentários:

  1. Puxa, muito bem falado! E que esses bons ventos cheguem enquanto ainda sobrar alguma coisa por aqui.Enquanto não tiverem roubado tudo! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Parabéns!!

    Um ótimo feriado

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  3. Que os bons ventos de um novo tempo tragam mesmo alguma consciência e as pessoas aprendam os valores éticos!
    Amei ler amiga Célia!
    Abraços e tenhas um lindo feriado prolongado!

    ResponderExcluir
  4. Faço meu o seu grito de revolta, já que por cá, estamos na mesma. Enganos, mentira, e roubos ao contribuinte. Com uma agravante. Durante 4 anos, fomentou-se o ódio dos novos, pelos velhos. Os idosos é que foram os culpados da crise, eles são os culpados de o governo não conseguir arranjar emprego para os mais novos, havendo até um ministro que disse que a culpa de todos os problemas de Portugal, era da Peste Grisalha.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  5. Não tenho comentários a fazer diante de tão lindo e verdadeiro texto.
    Parabéns pela lição de cidadania.
    Belíssimo texto!
    Um lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
  6. Célia, não me apetece nem um pouco comemorar nadita no 7 de Setembro! Nesse modelo de democracia não há emoção e amor que resista a bater no peito com orgulho. Orgulho de quê? Nunca tivemos tanta vergonha.
    Nosso Rio Grande tá sucateado, sem segurança, sem saúde e sem escola. Acabaram com tudo, menos a força da gauchada de lutar. Vejo o mesmo noutros Estados, mas aqui ainda há um agravante: salários parcelados! Greve e mais greve até quando, ninguém sabe.
    Quero o Brasil de volta; quero meu orgulho; quero respeito para com os brasileiros.
    beijos.

    ResponderExcluir
  7. O que podemos comemorar neste dia? O que fizeram de nosso querido Brasil? Mas somos brasileiros com orgulho e amor! Pátria Amada Brasil!

    ResponderExcluir
  8. Célia,

    se acrescenta-se uma só palavra a sua espetacular postagem, a estragaria.

    Limito-me a parabenizá-la!

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  9. Olá Célia.

    Que um dia a cidadania acorde e faça a real liberdade, hoje temos uma farsa, uma falsa liberdade. Que a cidadania educada e consciente, algum dia desratize a política, libertando-nos de marginais travestidos de salvadores da pátria, que vendem mentiras e distribuem "bolsa ilusão".

    Um abração e uma boa semana.

    ResponderExcluir
  10. Marcelo Sguassabia8 de setembro de 2015 18:19

    Saudações verde-amarelas, Celia. Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Boa noite, Célia, Rui Barbosa assim escreveu antes de 1920:

    "Naturalmente, quanto maiores os interesses em jogo, mais azado o ensejo para o florescer dessa indústria criminosa, dessa indústria de lesa-nação. Nenhum, portanto, a esse respeito, se compara com o das mudanças de presidente da República, o da eleição das candidaturas presidenciais. É então que, entre os da comandita abarcadora desse poder irresistível no mecanismo das nossas instituições, meia dúzia de sujeitos, da pior cotação moral no país, dispõe da magistratura suprema, e a soberania nacional, depois de se deixar adereçar, por alguns dias, das suas insígnias de papelão constitucional, volve aos quatro anos de sono até à outra vez de a alfaiarem, para nova solenidade, com as jóias da coroa de bricabraque."

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  12. Oi Célia,

    Faço das suas minhas palavras, até quando seremos governados por canalhas? Certamente é uma pergunta sem resposta...

    Bjos

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.