quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Dia do Professor...


Mestre... Professor... ou Educador? Ser ou Não Ser...

Aproxima-se mais uma data. Seria ela significativa?

A total desmoralização da classe leva-nos a conclusões não muito favoráveis! Saímos à caça dos culpados e o mais intrigante disso tudo é que esbarramos em nós mesmos. A total desunião entre nós. Não sabemos trabalhar verdadeiramente em equipe. Competimos! Somos despreparados. Nossos cursos de formação para professores, em geral, são de quinta categoria. Só podem resultar nessa total baderna cultural! Acomodamo-nos. Não buscamos atualizações, salvo raríssimas exceções. Nossa clientela quando chega à escola, já vem com a mente recheada de informações tecnológicas adquiridas por várias modalidades de mídia. E a escola vira sucata! Contextualizar. Atualizar. Modernizar. Ou muda... ou morre!

Políticas públicas educacionais? Onde? Diariamente vemos “analfabetos” e o pior deles, os funcionais, ocupando espaços na cultura... Desmoralização total. Os discursos. “A Pátria Educadora”! As apresentações públicas. A politicagem underground, o desvio de verbas, seria esse o estímulo à educação de um país? E o direito à mesma fica teorizado nas constituições... Chantagens!

Empresas particulares voltadas à educação... ou ao lucro? Cobram-se tudo do professor, que delas recebem a grife de “Educador”... E a restituição do que lhe é devido é sempre desproporcional ao ativo das mesmas. Somos bens de consumo. E, descartáveis! Novas propostas pedagógicas e belos exemplares humanos substituem-nos com o jargão... “velhos, desatualizados”.

Sobra nisso tudo – a rua – onde nossas crianças, nas esquinas e nos semáforos, abordam-nos, ávidas, não para aprender, mas para tirar de nós o que a vida não lhes favoreceu. “O Educador de rua”...

Fica a pergunta: comemorar... o quê? Minha resposta é: celebrar a vocação simplesmente – sacerdócio natural com que o Criador me batizou, há anos! Não haverá shows comemorativos, pois esses eu já os fiz em sala de aula. Hoje, recebo nas ruas, no reencontro com meus ex-alunos, o aplauso.

Essa é a comemoração! 

Profª Célia Rangel

 

13 comentários:

  1. E os mestres devem mesmo comemorar tudo aquilo que fizeram, centenas, milhares de ensinamentos passados , o tempo e carinho dispensado. Pena que tantas vezes são tão desrespeitados, desde os governos, até alunos e seus pais! Parabéns pelo teu dia! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Belíssimo texto!! Por cá, salvas as diferenças de dimensão, é quase a mesma cena...

    Beijo. Professora!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Retribuo-lhe o beijo, Professora Graça!
      Abraço.

      Excluir
  3. Nem a vocação tem brotado, nos últimos muitos anos! Os que procuram hoje os cursos de formação de professores, os motivos são outros: a seleção é "mais fácil" ou os editais para concursos, para a escola pública, são mais "abundantes" !
    Abissal diferença, entre o cenário de hoje e o da época em que, despertada em mim a vocação, fiz-me professora. Os cursos formavam bem e, na ativa, havia motivação, não só para o alunado mas, especialmente, para o mestre.
    E por falar em "mestre", sou de opinião que todo "bom professor"é mestre e educador. A "pátria educadora" está carente de todos os "ingredientes" para formar esse "bom professor"..para ser o "fazedor " de uma Pátria Cidadã!
    Celebremos, Célia, ao menos, a VOCAÇÃO! Meu abraço!

    ResponderExcluir
  4. Minha amiga professora Célia, a maioria dos meus bons amigos são professores, os tenho em alta estima, entendo muito bem o seu desabafo, lamentável isso que vemos, nem todos respeitam a boa educação, os professores!
    Encontro algumas vezes com algumas professoras dos meus filhos em minha caminhada matinal, elas me dizem exatamente o que dizes aqui, a alegria delas é mesmo saber que são reconhecidas pelos amados alunos, entre eles, meus filhos, sim meus filhos amam seus professores, eu ainda me lembro dos meus, hoje estão "lá" no mundo espiritual!
    Minha amiga, me empolguei e escrevi demais, mas acho que nunca é demais te dizer que te admiro como amiga e como professora e deixo aqui os meus parabéns pelo seu dia!
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Ivone pelo seu carinho!
      Grande abraço.

      Excluir
  5. Compreendo seu desabafo, Célia, os professores não têm nada a comemorar. É uma classe escanteada, aliás, como outras também. Acho que não temos nada a festejar, seria falsidade. Professores desrespeitados como agora? Nunca vi isso em minha vida de estudante e nem a dos meus filhos. Não acredito mais em nada, só se fosse cega e tomada por otimismo - o que não é o caso. Sou uma desencantada com meu país por não valorizar nada, nada do que nasce aqui.. Talvez outros países que se beneficiam da generosidade brasileira terão mais sorte.

    Deixo meus parabéns pela sua conquista, pela sua vida e seu empenho que deve ter sido maravilhoso, mas não por esse dia que fica muito a dever aos professores.
    bjus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais de 42 anos dedicados à educação! Valeu e muito! Guardo bons momentos Tais! Obrigada, pelo carinho.
      Abraço.

      Excluir
  6. Parabéns para vc e para todos (as)

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  7. Como você disse, vocacionadas, é isto mesmo! Então parabéns para nossa vocação e a sua que foi tão bem desempenhada! Beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.