sexta-feira, 13 de novembro de 2015

A Vida em Paralelas





‘Freezerou-se’ meu ser

Petrificada vaguei pelo meu interior

Aos olhos projetou-se linda lua

Soberanamente só e dominante

Você alojou-se no pensamento

Bem macabros por sinal

Em um canto solitário

Adormeci...


Sonhei que

Entre folhas cinzentas e ressequidas

Caminhávamos olhar no olhar

Suas mãos afagavam meu rosto

Aconchegando meu gélido ser

Seguimos sem destino

O trajeto era o do amor

Ternura...


A luz do sol despertou meu corpo

Extasiada em outra realidade

Seguimos por sólidos caminhos

Que não se descongelam

Somos paralelas fugidias

Fantasiamos nossas esperanças

Já que não assumimos

Fugimos...


Célia Rangel.

2 comentários:

  1. Já que não assumimos...fugimos... Gostei dessa última parte, bem condizente com o que tenho visto ultimamente.

    ResponderExcluir
  2. Com este amor nunca vai se sentir só! Ele te preenche! Beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.