sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Transigir















Preocupações inúteis avolumam-se nas ideias
Formam brinquedos impenetráveis – estátuas.

Trilhamos por céus e terras – na sombra da lua
Perdemos o sal e o fermento – tornamo-nos pó.

Como construir ainda, se está meio cheio meio vazio...
Pausas que o vento desbastou, descoloriu – cinza se tornou.

Pregas enrugadas marcas irreversíveis – pele amarelada com o tempo
Tempo!

Momentos poéticos do ontem e do hoje – energia ao coração
Premente necessidade de carinho e acarinhar
Solo que toca partituras humanas ainda que dilaceradas
Vivem!

Compreender íntimas delícias em horizontes com pote de ouro
Pessoas!

Libertas as ideias balbuciadas na imaginação contaminada
Sangram!

Marcas indeléveis camufladas na linguagem prosaica
Sentimentos!

Estrada íngreme, visão sagaz de arquitetura transfigurada,
Sísifo!


Célia Rangel




19 comentários:

  1. Amei, a imagem de Sísifo empurrando a enorme pedra, isso representa o que somos, o que temos, o que vivemos, gerúndios eternos!
    Amei ler linda amiga Célia, sensibilidade impar que tens e admiro!

    ResponderExcluir
  2. Olá,bom dia,Célia
    ...ainda seremos punidos com a mesmice, por causa da obediência passiva, por conformismo ou à reprovação da sociedade. As peculiaridades e o complexo De cada um, já dá a sua forma de expressão, liberdade e responsabilidade - com relação à sua vida e aos outros - sem que precise transigir.
    Agradeço pelo carinho,elogios para seu comentário "lá", com muita propriedade ao âmago do poema,bom f.d.s belos dias,beijos!

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pelo carinho na data de hoje ♥ ♥

    ResponderExcluir
  4. Desde a imagem, à poesia bem inspirada, adorei tudo,Célia! Tuas inspirações maravilhosas e vem de dentro de ti! bjs, chica, lindo fds!

    ResponderExcluir
  5. Trilhamos por céus e terras a sombra da lua!
    Magnifico Célia!
    Obrigado por nos presentear com esta bela postagem, grande abraço!

    ResponderExcluir
  6. Oi amiga, desculpe a ausência, aos poucos estou voltando.
    Te ofereço dois presentes, fique à vontade para pegá-los se quiser:
    http://arionetorres.blogspot.com.br/2016/02/o-jardim-da-vida.html

    http://cantinho-dos-baixinhos.blogspot.com.br/2016/02/pinturas-de-criancas-4-

    fevereiro.html

    Tenha uma excelente semana, beijos e fique com Deus!!

    ResponderExcluir
  7. Grandiosos pensares aqui expresso com a marca das suas digitais. Inspiração magnífica Célia.

    Desejo um abençoado fim de semana.

    Abçs!

    ResponderExcluir
  8. Olá, Célia.

    Um bom poema para refletirmos acerca do que anda ocupando as prateleiras das ideias e ideais, do emprego útil ou inútil do tempo, empurrando a pedra de nossas inconsistências.

    Um abração e bom fim de semana.

    ResponderExcluir

  9. Situação cada vez mais presentes. Tudo é uma repetição já tão desgastada de sentimentos inconsistentes, preocupações, projetos, sonhos mirabolantes. E o mundo e nossas particularidades cada vez mais pesadas por algo que poderia ser mais simples e feliz, mas que complicamos em vista de algo tão infame e tão burro: a ganância.
    Beijo, Célia. Aplausos!

    ResponderExcluir
  10. Sempre nos surpreende...
    Bjbj Lisette.

    ResponderExcluir
  11. Postagem maravilhosa e de grande significado, diante de tudo em que estamos vivendo. Parabéns Célia!
    Uma boa noite!
    Abraços,
    Mariangela

    ResponderExcluir
  12. Humano, demasiado humano... O mito de Sísifo, cada vez menos mito e mais realidade presente, que nos apequena e nos torna inúteis.

    ResponderExcluir
  13. Olá Célia,

    Perfeito o poema em seu sábio conteúdo filosófico e muito bem exemplificado pela imagem relativa a Sisifo, que nos traz à mente a sua representativa história mitológica.
    Quantos de nós estamos assim agindo, rolando pedra morro acima?
    É preciso libertar-se e emprestar utilidade à vida para que ela não transcorra em vão.

    Ótimo domingo.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  14. Boa Tarde, querida Célia!
    Obrigada pelo carinho em minha ausência por motivo de cuidar da saúde e de missão...
    Poeticamente viver para alegrar o nosso coração dá saúde total ao nosso ser...
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
  15. Olá, como tem passado?
    Apreciei o seu poema. Traz alhumas novidades, quebra a rotina.

    Beijnhos!

    ResponderExcluir
  16. Amiga querida, Célia Rangel !
    Que desabafo poético maravilhoso!
    ...receber carinho e acarinhar...
    resume todo o amor que armazenamos
    na alma.
    Um fraterno abraço, aqui do Brasil.
    Sinval.


    ResponderExcluir
  17. Cada pensamento reflete uma profundidade maravilhosa! beijos

    ResponderExcluir
  18. Muito bem descrito, Célia! É exatamente assim que caminhamos.
    Temo que o caminho não seja nada interessante. O homem endoidou feio...
    Abraço.

    ResponderExcluir
  19. Oi Célia querida


    Um poema pra refletir...(colocar a cachola pra funcionar)...


    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.