segunda-feira, 21 de março de 2016

Reflexão: "A Beleza da Fragilidade"


A BELEZA DA FRAGILIDADE

LAURO DAROS



Ser humano é ser frágil e vulnerável como as folhas de outono. Vem a brisa, dançam; a brisa se torna vento, caem aos milhares, até tocarem o chão insensível e serem arrastadas a um canto qualquer.

As vivências mais profundas dão-se nas quedas. Ver-se caído e esmagado é uma lição de humildade. Grande é a dor ver os belos sonhos de perfeição caírem e beijarem o solo.

Estar no pomar, contemplar as folhas – amarelas, vermelhas, ocres – estremecerem com o vento uivante e tombarem aos milhares, em ziguezague, como borboletas feridas, é uma lição de vida.

Das profundezas do coração, a metáfora das folhas aflora. Sim, é isso. Ser humano é ser como as folhas de outono. E a mensagem é simples: ser humano é estar sempre caindo.

E a lição entra na alma, como a semente na terra, onde se desenha uma vida nova.

Aceitar a condição humana é ter consciência da fraqueza e da vulnerabilidade. O ser humano nem sempre está na plenitude de suas forças. Por isso, a lição das folhas outonais sem cessar retorna.

Aprende-se assim que ser forte não é camuflar as fraquezas, mas ter a humildade de aprender com elas e crescer. Ser forte é começar a ser mais humano e mais compreensivo. É aprender a não julgar, nem a si próprio, nem o outro.

Ser humano é aprender a cair sem perder a autoestima e sem deixar de sentir-se profundamente amado por Deus.

Ser humano é aprender a não esperar demais de si, mas a buscar conforto e segurança em Deus.

“Ao saber do vento,

a folha de outono

vira borboleta...”

Ir. Lauro Daros


10 comentários:

  1. Querida amiga, Célia Rangel !
    Que bela lição de vida está encrustada
    neste poema, tão bem selecionado por ti.
    Parabéns pela sensibilidade de escolhe-lo
    e partilhar. Muito grato.
    Um fraterno abraço, aqui do Brasil.
    Sinval.

    ResponderExcluir
  2. Boa Tarde, querida Célia!
    Feliz Outono pra vc e seus amados!
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
  3. Que lindo Celia e tão verdadeiro!
    Quantas coisas o ser humano ainda tem que aprender, com um pouco de humildade. Lindo outono pra nós!!
    Abraços!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  4. Célia
    Por muitas arrogâncias que haja, o ser humano será sempre vulnerável na verdade, pelo que o humanismo é imprescindível.~
    abraço

    ResponderExcluir
  5. Humano, demasiado humano... Contudo, é o que nos resta e o que nos basta. Abraços, Célia.

    ResponderExcluir
  6. (Aceitar a condição humana é ter consciência da fraqueza e da vulnerabilidade. O ser humano nem sempre está na plenitude de suas forças).

    Pois é, Célia, somos vulneráveis e difícil para os humanos mostrarem suas fraquezas, seus limites. Parece que temos obrigação de sermos sempre fortes, e esse 'forte', o que será na realidade?
    Para mim, ser forte é ser 'verdadeiro', em qualquer circunstância. Mesmo que algo venha a doer muito.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  7. MARAVILHOSO! "Aceitar a condição humana é ter a consciência da fraqueza e vulnerabilidade", estamos aqui para evoluir com a benção de Deus! bjss

    ResponderExcluir
  8. E saber que as folhas caem. Todas. Às vezes, ainda verdes...
    Lindo texto! Feliz Páscoa!

    ResponderExcluir
  9. Que beleza de Poema/texto, Querida Célia.
    "(...)ser forte não é camuflar as fraquezas, mas ter a humildade de aprender com elas e crescer.(...)".
    É bom meditar nestas verdades.

    Beijo
    SOL

    ResponderExcluir
  10. Oi amiga Célia,
    vim lhe desejar um excelente final de semana e uma feliz páscoa!
    Beijos e fique com Deus!!

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.