terça-feira, 6 de setembro de 2016

7 de setembro

SEMANA DA PÁTRIA
Lauro Daros

A Semana da Pátria convida à reflexão sobre o que é ser patriota. Cidadãos, Famílias e Instituições de Educação podem participar de desfiles e de outras comemorações cívicas; no entanto, patriotismo vai além da participação em tais eventos. O patriotismo deve existir sempre, ultrapassar a barreira da Semana da Pátria. Em se tratando de educação, patriotismo é formar bons cidadãos, comprometidos com o presente e o futuro do país.

Trabalhar a disciplina é essencial na formação do bom cidadão. O conceito de disciplina está diretamente ligado à formação para a cidadania. Formar bons cidadãos é missão de toda a sociedade, com destaque para a família e para a escola.

A família, primeira educadora, fonte de afeto e de segurança, transmite, pela vivência, as virtudes da sociabilidade. O respeito por si próprio e pelo outro; o respeito pelo meio ambiente e pelos bens públicos; o respeito pelas normas do trânsito e pelos bons costumes; o respeito pelas leis; enfim, o respeito pela vida, tudo faz parte de uma disciplina interior, transmitida primeiramente no aconchego familiar.

A escola aprofunda e amplia a disciplina transmitida em casa. Sem base familiar, a educação escolar não se sustenta; sem base escolar, a educação familiar não se complementa. A educação integral, ou seja, a educação de todas as dimensões, como a cognitiva, a ética, a social, a espiritual, entre outras, cabe a ambas. Por isso, por uma questão de bom senso, a família e a escola devem ser parceiras.

A disciplina é um movimento positivo, uma energia canalizada para a criatividade, para as relações humanas, para o respeito ao meio ambiente, para a construção de conhecimento, para o crescimento pessoal e social. A palavra disciplina vem do latim, disciplina, que significa “ensinar”.  Pela disciplina, ensina-se à criança e ao adolescente a viverem mais produtivamente e com amor.

É importante sempre lembrar que a disciplina é meio, não fim. O fim é a pessoa, e a disciplina é meio de ajudá-la a ser feliz consigo mesma, com a família e com a sociedade. Quem determina a medida da disciplina é o amor. Às vezes, é preciso ser flexível, outras vezes é necessário diminuir os espaços. Não é possível falar de disciplina sem falar em ética e limites.

Amor e razão não são dicotômicos. Não se excluem. Antes, se atraem. Quando não há amor, a razão torna-se pedra; quando não há razão, o amor torna-se água.  Pela mistura justa e equilibrada da água e da pedra erguem-se construções sólidas e duradouras.

E é bom que fique claro que a indisciplina pode se manifestar em todos os graus. Desde um xingamento a um colega até um ferimento grave; desde um simples risco na carteira escolar até a danificação de um bem público; desde o desperdício de água até a poluição de um rio; desde o suborno a um guarda de trânsito até o hábito da corrupção. Enfim, um grande cabedal de pequenos e grandes exemplos poderia ser citado.

O maior problema está no exemplo que os adultos dão às crianças e aos adolescentes. Mais que nas palavras, a grande força educativa está no exemplo. Antes de educar pela palavra, o grande educador educa pelo que é e pelo que faz. As crianças e os adolescentes vivem num mundo que não construíram. Não foram eles que criaram tantos problemas sociais e ambientais.

Sejamos nós, educadores, os primeiros em recuperar o sentido da disciplina e oferecer às novas gerações um mundo de paz, de ordem e de justiça.

Ofereçamos à pátria bons cidadãos, livres e disciplinados, conscientes de seus deveres antes de reclamarem seus direitos. Cidadãos que votem com consciência e depois acompanhem de perto até o fim seus representantes para que sejam éticos e realizem os projetos prometidos. 

6 comentários:

  1. Célia - ouvi outro dia de uma jovem doutora que isso (patriotismo) não existe mais. Desmontei. Me senti velho... O assunto: O Hino Nacional usado pela torcida do Palmeiras; sinto vergonha e nojo dessa manifestação pública. Os "jornalistas" que transmitem o evento não tem sensibilidade para opinar. Não existe um pedido de punição. Será que "isso não existe mais"? Absurdo!

    ResponderExcluir
  2. Um grande Governante do Século XX, tinha por lema a frase: "DEUS, PÁTRIA e FAMÍLIA".
    Entendo, muito profundamente, que esta frase resume o sentido de Ordem que deve estabelecer os Homens na Sociedade.
    A disciplina e a educação firmam os demais conceitos de Cidadania.


    Beijo
    SOL

    ResponderExcluir
  3. Oi Célia,
    Não podemos recriminar os governantes, se muitas de nossas crianças e jovens já caminham neste mesmo sentido. Sem o minimo senso de disciplina, respeito ao próximo, e patriotismo!
    Não estamos vendo esta formação... Nem casa e nem nas escolas!
    Um grande abraço, uma boa tarde!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  4. Minha amiga professora Célia, tanto amo minha Pátria quanto amo os professores, tenho lindas lembranças de todos eles que fizeram parte de minha vida,(e tenho a sorte de ter muitos amigos aqui que são professores)!
    Aprendi a amá-los e respeitá-los, ensinei aos meus filhos a mesma teoria que virou uma boa prática!
    Disciplina começa em casa, na escola se completa, bem como dizes, pois sem valores não se chega a lugar nenhum!
    Minha amiga, acredito que nem tudo está perdido!
    Amei ler aqui, como sempre me prendo e releio com muito prazer!
    Abraços bem apertados e tenhas um lindo feriado!

    ResponderExcluir
  5. Gostei da dissertação do irmão, sobre o patriotismo e a
    necessidade de educar em valores éticos fundamentais,
    que também incluem a formação para a liberdade pessoal.
    Ao tempo que não ouvia falar de educação integral!
    ~~~ Beijos de outra pedagoga ~~~

    ResponderExcluir
  6. Este país, tão vergonhosa e indevidamente vermelho, precisa mesmo de tudo isso, minha amiga. Abraços.

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.