sexta-feira, 9 de setembro de 2016

A Poética do Devaneio

A Realidade do Amor

Que sempre existam almas para as quais o amor seja também o contato de duas poesias, a convergência de dois devaneios.

O amor, enquanto amor, nunca termina de se exprimir e exprime-se tanto melhor quanto mais poeticamente é sonhado.

Os devaneios de duas almas solitárias preparam a magia de amar.

Um realista da paixão verá aí apenas fórmulas evanescentes.

Mas não é menos verdade que as grandes paixões se preparam em grandes devaneios.

Mutilamos a realidade do amor quando a separamos de toda a sua irrealidade.


Gaston Bachelard, in ' A Poética do Devaneio'



Excelente leitura!

2 comentários:

  1. Que beleza,Célia! Não conhecia esse livro! Vale a dica e amostra! beijos, chica

    ResponderExcluir
  2. Deve ser muito interessante, Célia.
    Grata pela partilha.
    Abraço.
    ~~~

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.