sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Refletindo sobre “DIA  DO  PROFESSOR - EDUCADOR” - 2016


Nossa!
Deveria ser uma data festiva, alegre, alfabetizadora das boas emoções...

No entanto sucumbe na negatividade do porão onde deveria alicerçar a cultura..

Ah! Mas para que cultura? Menos é mais!

Menos culto, menos alfabetizado, melhor trapaceia-se com marionetes humanas...

Filosofia? Arte? Sociologia? Educação Física? Ah! Deixa disso...

Queremos humanos no chão de fábrica em superprodução em massa...

Recebe um número, um crachá e muita cobrança por horário, reuniões, aprovação, limites e manutenção da clientela.

Sem tempo para o seu eu... Sem pensar... Sem sentir ou se expressar...

Escolas? Verbas? Há excesso! Vamos desviar para offshore...

Aquecer contas bancárias pessoais...

Eliminar ministérios, secretarias, gabinetes, escolas, pessoal da área da educação...

Diminuir a folha de pagamento... RH está inchado... a ‘escola-empresa’ precisa do lucro...

Crianças? Jovens? Coloquemos algumas máquinas eletrônicas, alguns jogos e ficarão felizes...

Assistentes, estagiários, substitutos darão conta e no saldo credor da ‘empresa’ o lucro atingido...

O salário desse profissional – o professor – qualquer arroz com feijão serve!

Se ele insistir troca-se por outro... Professor = profissão.  

Educador = missão. Se debater por dignidade e reconhecimento estará fora do mercado.

Ou lê a cartilha, veste a camisa ou já era... Argumentos não serão ouvidos!

Então, de repente, lê-se ou ouve-se na mídia que “ninguém mais quer ser professor”...

Oras, o porteiro, o vigia, o zelador do prédio onde mora o professor ganha igual ou mais e, detalhe, não leva correções, planos de aula, cursos de atualizações, leituras para casa, que necessita para um bom desempenho!

Classe em extinção mesmo...

Célia Rangel  

7 comentários:

  1. Uma ótima reflexão.
    Parabéns para você!

    bjokas no coração =)

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente não é de hoje que é assim, mesmo porque, muitos alunos nem querem mais aprender, desafiam, desrespeitam os professores e o pior, os pais exigem, em escolas particulares, que seus filhos tirem boas notas mesmo sem aprenderem!
    Que pena que é assim querida amiga professora Célia, deixo aqui meus parabéns pelo seu dia, tenho certeza de que és lembrada com carinho pelos seus ex-alunos!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  3. Quanto ao descaso pela cultura e educação também estamos num
    patamar muito baixo.
    Enquanto o povo não se unir fortemente e exigir a avaliação
    de desempenho do governo, a corrupção não pára...
    Muito bem focado e exposto, Célia.
    ~~~ Abraço solidário ~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
  4. Já me disseram: seja professor apenas para ganhar alguns trocados. Não vale a pena. Que tragédia!!!

    ResponderExcluir
  5. Mas pra que cultura, Célia? Eles querem gente que não raciocina, é bom pra eles! É aquilo... povo que não tem virtude, acaba por ser escravo...
    Ótimo seu texto. Coitado dos professores... Acho que dar parabéns não diz mais nada, o verdadeiro é dizer, lamento pelo desrespeito, pelos salários, pela mordaça, pelo descaso que fazem com os professores.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Célia
    O professor está a deixar de ser visto como personagem importante para o bom futuro da sociedade, porque não pode gerar receitas, a mediocridade dos agentes políticos se continuarem a banquetear e muitos a serem parasitas em relação à produção.
    Abraço

    ResponderExcluir
  7. O futuro do país depende de quem não é valorizado! O professor. que pena! Beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.