sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Um poema e muita meditação!


SOLIDÕES

Lauro Daros


Resistem ruínas emocionais, lembranças de dor,
amargas como sangue, tristezas brutais, turvas,
na intimidade, alcanço-me primitivo e sem cor,
persigo-me para dissipar sombras e liberar luzes.


Arqueólogo de meus destroços, escavo o começo,
sedento de encontrar-me límpido, sem camadas,
buscar-me original, sem a roupagem de ideologias,
conhecer-me sem o peso de sonhos nunca meus.


Recorrer ao princípio para recuperar a fonte da vida,
recomeçar, porque a infância é água que brota pura,
esse passado fértil que fecunda um futuro obscuro,
negando-me ao fatalismo demente, insano e ilógico.


Chegar à profundeza para alcançar alturas celestes,
libertar-me na leveza da brisa, arejar-me, inflar-me,
sem deixar a nascente que revigora, maravilhar-me,
saber que a alegria perene começa na infância feliz.


11 comentários:

  1. Profundamente lindo! Adorei! Ótimo dia! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. O afloramento de excelentes conhecimentos psicológicos, teológicos e filosóficos...
    Conceitos reflexíveis muito belos e interessantes.
    ~~~ Abraço ~~~

    ResponderExcluir
  3. Que lindo, que seu fds seja lindo tb.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  4. "Chegar à profundeza para alcançar alturas celestes"
    Que sabedoria!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  5. "Recorrer ao princípio para recuperar a fonte da vida,
    recomeçar, porque a infância é água que brota pura,
    esse passado fértil que fecunda um futuro obscuro,
    negando-me ao fatalismo demente, insano e ilógico."

    É isso, nossa vida começa lá atrás, só há uma fonte que brota a felicidade, o equilíbrio, o saudável: infância!

    Beijo, Célia!

    ResponderExcluir
  6. Oi Célia bom esta de volta aqui. Amei a poesia Bjs

    ResponderExcluir
  7. Olá, boa tarde! Gostei do texto! E também passei para rever o blog e deixo beijinhos!

    ResponderExcluir
  8. Realmente, dá margem para muita meditação. Abraços, Célia.

    ResponderExcluir
  9. Bela partilha, Célia!
    De fato, um poema que remete à meditação e reflexão.
    "Chegar à profundeza para alcançar alturas celestes". Tão necessário, reconfortante e altamente enriquecedor.

    Feliz semana!

    Abraço.

    ResponderExcluir
  10. Libertar a luz é ir mais longe em si mesmo. Abração

    ResponderExcluir
  11. É uma grande responsabilidade ao mundo, pensar que a alegria perene começa na infância feliz. E acho que há muito de verdade nisso mesmo.

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.