domingo, 2 de outubro de 2016

VIDA EM BRANCO  


Primeiro me anunciaram o Deus branco.
Em seguida a alma branca.
Depois a arma,
a mentira,
a violência,
a piada,
a calúnia...
A mente sempre encontra um meio
de amenizar suas insanidades.
Mas ninguém se atreveu ainda proclamar branco
o “quase” racismo!
Inventou-se, contudo o “crime de colarinho branco”
para os “respeitáveis” e impunes.
Crime sofisticado, “quase” sem rastro.
Dei-me conta de que branca,
nesta civilização banal,
pode ser qualquer coisa,
desde que camufle a verdade.
Mais triste que tudo, porém,
é deixar a vida passar em branco.


Ir. Lauro Daros


8 comentários:

  1. Querida perfeito esse texto com
    palavras verdadeiras, acho que o povo
    muitas vezes não tem consciência do fala
    pra mim o branco sempre representou a paz
    mas são misturas que deixa tudo um pouco confuso


    Abraços com meu carinho
    Rita
    Bom domingo!

    ResponderExcluir
  2. Deliciei-me com esta partilha.
    Deixar algo em branco, é pura e simplesmente, total desperdício!
    Bjo, Célia :)

    ResponderExcluir
  3. Concordo com o irmão.
    Muito engenhoso o desenvolvimento do tema!
    ~~~ Abraço, Célia ~~~

    ResponderExcluir
  4. Que beleza! E uma vida passada em branco é muito triste! bjs, chica

    ResponderExcluir
  5. Ui! Que crítica mordaz! Mas tão verdadeira!! (e eu que gosto tanto de branco...)

    Beijinhos coloridos...

    ResponderExcluir
  6. Não deixarei, por isso, esta caixa de comentários em branco... Boa semana, Célia! :)

    ResponderExcluir
  7. Boa noite, querida Célia!
    Branca mesmo é a paz na alma sem a negritude do desamor!
    Passar a vida em branco é um terror!
    Vc elencou muito bem as várias nuances do branco...
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
  8. Sábia reflexão amiga! abração

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.