terça-feira, 29 de março de 2016

Superpoderes?

Como não ir além do seu limite?
por Roberto Shinyashiki

"Temos de ser bons naquilo para o qual temos talento, o que não significa nos exigir sermos maravilhosos o tempo todo"...
O mundo está uma loucura, mas todos só acertam na vida. Não é esquisito isso? Será que só eu e você temos inquietações e erramos?
Será que só eu e você temos a sensação de correr o dia inteiro e ainda estar em falta com alguma coisa no fim do dia? Todo mundo tem dúvidas, mas faz pose de gênio! Os super-heróis atacam por todos os lados. E os seres humanos deixam de viver as ordens do coração para viver num mundo de aparência.

Fico impressionado com o número de pessoas que se enche de dívidas só para desfilar o carro novo para o vizinho, ou para fazer inveja à amiga com a bolsa de marca famosa, ou para deslumbrar a mulher desejada com um jantar além da sua condição financeira. Pessoas que se cercam de bens materiais e conceitos supérfluos para serem admiradas. Pessoas que não sabem como é bom amar alguém. Não conhecem a essência de um relacionamento. Querem apenas impressionar. Aparentar aquilo que não são.

E os pais super-heróis? Esses querem que os filhos também sejam super-heróis. Lotam a agenda das crianças com aulas e mais aulas. Elas não têm tempo livre sequer para brincar. A ideia dos superpais é preparar os filhos para o futuro. Mas assim as crianças acabam perdendo a infância. Ou seja, não fazem a única coisa realmente importante para se tornar um adulto pleno.

Gostaria de convidar você a refletir um pouco sobre seus heróis. Pense por alguns segundos nas pessoas que você admira. Quando proponho essa reflexão em meus seminários, em geral ouço descrições que lembram os super-heróis das histórias em quadrinhos ou do cinema. Heróis com superpoderes que nada têm a ver com o mundo real. 

Apesar de ter plena consciência de que essa imagem não passa de pura fantasia, a maioria das pessoas embarca nela de cabeça. E se ilude querendo mostrar que são superexecutivos, superempresários, supermães, superprofessores, superamantes.

Não estou dizendo que a pessoa que procura dar sempre o melhor de si em cada ação está errada. Ao contrário. É altamente positivo buscar a excelência em cada coisa que fazemos. Isso não quer dizer, no entanto, que sempre sairemos vitoriosos de nossas batalhas. Ninguém consegue ganhar todas as disputas da vida. 

Quem exige de si vencer o tempo todo está se candidatando a viver crises de depressão ou, pior ainda, agir sem ética para vencer a qualquer preço. Quem precisa se sentir importante o tempo todo está criando um grande vazio em sua vida... É preciso estar muito consciente para não embarcar nesse jogo de aparências e não se deixar envolver em atividades sem sentido para sua vida. 

Acredite: é possível ser feliz com o que você tem e é. Eu digo, com todo carinho do meu coração: da mesma maneira que é importante tirar das suas costas o peso de ser algo que você não é, também é importante tirar esse peso dos ombros de quem está a seu lado. Aliás, nem precisamos ser o que não somos nem precisamos ser perfeitos no que queremos ser. Ser muito bom já é suficiente. Temos de ser bons naquilo para o qual temos talento, o que não significa nos exigir sermos maravilhosos o tempo todo. 


sábado, 26 de março de 2016

Mensagem



Páscoa

Estamos sempre de passagem:

--- em uma nova vida,
--- em um novo trabalho,
--- em um novo objetivo,
--- em uma nova esperança,
--- em uma nova ilusão,
--- em um novo amor.
--- Renove-se!
--- Renasça!
--- Em Cristo, à Sua Imagem e Semelhança!

Que a sua Páscoa reflita o seu mais intimo desejo.

Célia Rangel

segunda-feira, 21 de março de 2016

Reflexão: "A Beleza da Fragilidade"


A BELEZA DA FRAGILIDADE

LAURO DAROS



Ser humano é ser frágil e vulnerável como as folhas de outono. Vem a brisa, dançam; a brisa se torna vento, caem aos milhares, até tocarem o chão insensível e serem arrastadas a um canto qualquer.

As vivências mais profundas dão-se nas quedas. Ver-se caído e esmagado é uma lição de humildade. Grande é a dor ver os belos sonhos de perfeição caírem e beijarem o solo.

Estar no pomar, contemplar as folhas – amarelas, vermelhas, ocres – estremecerem com o vento uivante e tombarem aos milhares, em ziguezague, como borboletas feridas, é uma lição de vida.

Das profundezas do coração, a metáfora das folhas aflora. Sim, é isso. Ser humano é ser como as folhas de outono. E a mensagem é simples: ser humano é estar sempre caindo.

E a lição entra na alma, como a semente na terra, onde se desenha uma vida nova.

Aceitar a condição humana é ter consciência da fraqueza e da vulnerabilidade. O ser humano nem sempre está na plenitude de suas forças. Por isso, a lição das folhas outonais sem cessar retorna.

Aprende-se assim que ser forte não é camuflar as fraquezas, mas ter a humildade de aprender com elas e crescer. Ser forte é começar a ser mais humano e mais compreensivo. É aprender a não julgar, nem a si próprio, nem o outro.

Ser humano é aprender a cair sem perder a autoestima e sem deixar de sentir-se profundamente amado por Deus.

Ser humano é aprender a não esperar demais de si, mas a buscar conforto e segurança em Deus.

“Ao saber do vento,

a folha de outono

vira borboleta...”

Ir. Lauro Daros


sábado, 19 de março de 2016

Afetividade






"A felicidade se encontra na simplicidade do afeto

A delicadeza de um gesto acarinha-nos plenamente

A alegria dos bons momentos se faz vida

Ao abrigarmos a solidão acolhemos emoções únicas

Nada melhor que os sonhos para equilibrar ciclos

Tempo de aconchego, de Outono

Tempo de perdão, de Quaresma

Tempo de Páscoa, vida que se renova 

Tempo de distribuir afetos!"

Célia Rangel




segunda-feira, 14 de março de 2016

QUANDO...












Quando...
Penso em você
Descortino imagens em sonhos.

Quando...
Percebo sua presença
Começo a sonhar.

Quando...
Você manifesta-se
Recebo ternuras.

Quando...
No silêncio
Abasteço-me com amor.

Quando...
A solidão interage
Habito a paz em meu ser.

Quando...
Avalio a vida
Concluo:- o melhor dom que recebi.

Célia Rangel
"14 de março - Dia da Poesia" - para mim todos os dias...



domingo, 13 de março de 2016

Manifestações...



Pátria hoje...

Difícil, mas assim é que é bom...

Situações impossíveis?!

De repente , num passe de mágica...

Resolvem-se...

Já vivi tantas...

E essa também será resolvida...

Para o nosso bem e da nossa pátria!

Força + Fé + Ação = Renovação do que não está bom.

Assim, estruturaremos dias melhores.

Depende, apenas de nós!


Célia Rangel

sexta-feira, 11 de março de 2016

Imaginação Feminina














Quando ela silencia algo está brotando...

Ideias... amores... ilusões... decepções... seduções...

O prazer de ocultar é a sua maior arma.

Palavras, ela diz com o olhar... saber traduzir,

Uma arte!

Ela cria. Ela acolhe. Ela aborta. Ela enxota.

Tornar-se coerente a isso tudo,

Uma arte!

Viver com uma mulher, não com uma genitália...

É dar e receber atenção, afeto e possibilidades.

Uma arte!

E, na arte, ela ousa em sua tela única – a vida!

Com vários matizes de incomparável beleza,

Deixa raízes, cicatrizes, lágrimas e sorrisos.

Sensibilidade ímpar: seu êxtase!

Uma arte suprema!


Célia Rangel

terça-feira, 8 de março de 2016

Dia Internacional da Mulher




Pintor de Mulher 
a Augusto Rodrigues

Este pintor
sabe o corpo feminino e seus possíveis
de linha e de volume reinventados.
Sabe a melodia do corpo em variações entrecruzadas.
Lê o código do corpo, de A ao infinito
dos signos e das curvas que dão vontade de morrer
de santo orgasmo e de beleza.


Carlos Drummond de Andrade
in Corpo Ed. Record - 1984

segunda-feira, 7 de março de 2016

Meu Credo Feminino


Quanto mais vivo percebo nuances transformadoras

De mulher vibrante em seus atos,

Para uma mulher ponderada e sensata.

Há uma aprendizagem em saber ouvir e respeitar.

Faz aluguel do coração para armazenar um pouco de tudo,

Ainda assim, não desfaz de sua liberdade e autonomia.

Bens indissolúveis, bem administrados sem inventário futuro...

É o tempo que ainda disponho, para fazer o que mais me dá prazer.

Os outros? Que me respeitem, pois traço sóbrios limites.

Uso filtro detector de indesejáveis...

Alto é o grau de 'desconfiômetro': permissividade?

Apenas, a contemplação do direito alheio,

Até porque, sei o que, como e com quem quero...

De cara e alma limpas, sou honesta e direta.

Merecemos todas nós, Mulheres com ‘M’ maiúsculo,

Dignidade, Igualdade e Gentilezas humanas.

Não esmolamos carinhos, mas Integridade.


Célia Rangel, pelo nosso ‘dia a dia’ agradecendo a Deus por ser  Mulher.