segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

A Verdadeira Arte de Viajar

"A gente deve sair à rua como quem foge de casa,

Como se estivessem abertos diante de nós todos os caminhos do mundo...

Não importa que os compromissos, as obrigações, estejam logo ali...

Chegamos de muito longe, de alma aberta e o coração cantando!"

Mario Quintana

*******

Desejo a todos uma "Feliz Viagem ao Novo Ano!"

Célia Rangel



quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Feliz Natal!

POESIA DE NATAL

Enfeite a árvore de sua vida
com guirlandas de gratidão!
Coloque no coração laços de cetim rosa,
amarelo, azul, carmim,
Decore seu olhar com luzes brilhantes
estendendo as cores em seu semblante

Em sua lista de presentes
em cada caixinha embrulhe
um pedacinho de amor,
carinho,
ternura,
reconciliação,
perdão!

Tem presente de montão
no estoque do nosso coração
e não custa um tostão!
A hora é agora!
Enfeite seu interior!
Sejas diferente!
Sejas reluzente!



quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Bem- Vindo Verão!

Algo existe

Algo existe num dia de verão,
No lento apagar de suas chamas,
Que me impele a ser solene.
Algo, num meio-dia de verão,
Uma fundura - um azul - uma fragrância,
Que o êxtase transcende.
Há, também, numa noite de verão,
Algo tão brilhante e arrebatador
Que só para ver aplaudo -
E escondo minha face inquisidora
Receando que um encanto assim tão trêmulo
E sutil, de mim se escape.

(Tradução de Lúcia Olinto)
Emily Dickinson


segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

É Natal no Planeta Terra (2)


F E L I Z   N A T A L!

É Natal no Planeta Terra (1)





É NATAL NO PLANETA TERRA
(Lauro Daros)


É Natal!
Louvada seja, minha Criança Jesus!
Receba meu colo e carinho,
o calor do meu coração,
a ternura dos meus gestos
a doçura das minhas palavras,
o meu beijo e o abraço da vida!


Criança,
faça neste Planeta a mais sublime experiência
divina e humana: a de amar e ser amada!


É Natal!
A Terra – o cenário do Reino – é a Casa Comum,
espaço e tempo da biodiversidade e da pluralidade,
onde o mineral, o vegetal e o animal coexistem,
onde o ser inteligente aceita-se natureza
e todas as criaturas são irmãs e irmãos!


É Natal!
A Vida Religiosa Consagrada abraça o Criador.
Religiosas e Religiosos – Mulheres e Homens de Deus –
abraçam a Criação e o Universo – inesgotável riqueza divina,
e fazem reverência diante da vida,
pelo compromisso firme de trabalhar pela justiça e paz,
sinais visíveis do Reino.


É Natal!
Tempo de a VRC abrir a mente e o coração à novidade divina,
graça que se manifesta na simplicidade do cotidiano.
A Criança, ao nascer na singela manjedoura, no cenário bucólico,
entre os animais, no abrigo da gruta, sob as estrelas,
revela a intimidade de Deus com a natureza.
E o nascer do Menino à meia-noite
simboliza o salto para um novo tempo de esperança!


É Natal!
Em cada Criança,
Deus,
que é divinamente poético,
brinda a humanidade com um novo Ser,
o sublime sonho de sua existência infinita.
Eis que estou fazendo uma coisa nova! (Is 43,19)
E vi um novo céu, e uma nova terra. (Ap 21, 1)



sábado, 17 de dezembro de 2016

Só um dia?


Natal – cidade natal: onde ocorreu o nascimento de alguém ou algo; festa do nascimento de Jesus. (Houaiss)

A minha árvore de Natal há muito foi plantada. É cultivada diariamente. Procuro enfeitá-la com orações, boas ações e muita fé naquilo em que creio profundamente.

Não sou adepta aos “enfeites comprados”. Isso é comércio. É compra e venda. É lucro. Enfeita-se externamente o que internamente está triste, melancólico, embolorado! Ato hipócrita.

Luzes! Estrelas! Bolas! Papais-noéis! Anjinhos! Sinos entoando cânticos comoventes... corações enternecidos! Com curto prazo de validade! Dezembro tão somente... depois cada um por si...

As doações! Esse item então é ilusório! Abrimos armários e tudo o que não nos serve mais, é doado... Quanta magnanimidade! Alimentos, roupas, apenas nesse mês. Depois, passem fome, frio!

As mensagens natalinas tornam-se chavões! Durante o ano todo muitas vezes nos esquivamos de dirigirmo-nos com palavras ternas ao nosso semelhante, ao nosso colega de trabalho, ao nosso vizinho. Nem um cumprimento pelo menos! Ouvi-lo? Acolhê-lo? Achamos estressante.

Isso é celebrar o Natal?

Sendo uma data símbolo de nascimento, então que pulse em nossos corações por toda nossa existência a Vida em abundância para que possamos ser felizes aqui e agora. Sempre! Não apenas em uma data!

Precisamos de um dia para celebrar CRISTO no meio de nós? Se assim o for... que falta de fé! Envergonho-me de ser cristão!

Célia Rangel

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Motor Humano


Há um coração vadio
Que ri de tudo
E em nada se fixa.

Há um coração agitado
Que crê em tudo
E armazena sonhos.

Há um coração esperançoso
Que planta dias felizes
Em que outros se abastecem.

Há um coração mensageiro
Da paz e da felicidade
Que ama sem falsidade.

Há um coração sofredor
Que busca nas palavras
Seu brinquedo acolhedor.

Há um coração razão
Que planeja e orienta
A estrada da vida.

Há um coração lagarta
Que sonha e se transforma
No silêncio do sagrado.

Há um coração emoção
Que propõe embargar a voz
No suspiro final – te amo!


Célia Rangel


sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Simplesmente, feliz...

Como não te amar
Não acreditar em teu olhar
Há um eterno penhor do amor
Entre nós.
Onde estiver estarei em teu pensamento...
O envolvimento é coisa séria.
A gente não pede não busca.
Ele contagia é endêmico.
É na verdade a fonte da saudade,
De dias vazios a espera de mais, muito mais.
Tua estrela é a que mais brilha!
Saiba disso.
Tua sorte é de muita luz.
Tua fé esmaga o obscuro.
Tua vida segue o caminho.
Da verdade, da paz, e da persistência.
Anoitece e o perdão é a moldura
Das estrelas que guiam o teu caminho.
Deixe ficar abandona-te ao nada,
Que aos poucos tua existência será fortalecida.
Deixe brilhar – tu és capaz!

Célia Rangel



terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Ceia de Vida


Na partilha do amor,
Saudade...
Flui a linguagem do olhar.


Interiormente, mesa posta,
Redenção...
Perdão e aceitação.


O pão da vida para todos,
Há fome...
De paz, de justiça, de ternura.


Forasteiros somos todos...
Vagamos por espaços arenosos
Carentes de refúgio sólido.


Ser iluminado brilha,
Doando sua luz como diretriz
Para a evolução da humanidade.


Saciada a mendicância social,
Sobrevive em nós a magia
Dos amores renovados!



Célia Rangel


domingo, 4 de dezembro de 2016

Menos um Poeta...


Morre o poeta Ferreira Gullar, aos 86 anos

O poeta, ensaísta, crítico de arte, dramaturgo, biógrafo, tradutor e memorialista, Ferreira Gullar morreu aos 86 anos, neste domingo (4).

A informação foi confirmada pelo colunista Ancelmo Gois, do jornal O Globo. A causa da morte ainda nao foi confirmada. O escritor estava internado no Hospital Copa D'Or, na Zona Sul do Rio.

Ferreira Gullar foi, sobretudo, um poeta que participou de todos os acontecimentos mais importantes da poesia brasileira. Quarto dos 11 filhos do casal Newton Ferreira e Alzira Ribeiro Goulart, ele nasceu José Ribamar Ferreira no dia 10 de setembro de 1930 em São Luiz, no Maranhão.

Militante do Partido Comunista, exilou-se na década de 1970, durante a ditadura militar, e viveu na União Soviética, na Argentina e Chile. Retornou ao país em 1977 e foi preso por agentes do Departamento de Polícia Política e Social no dia seguinte ao desembarque, no Rio.

Foi libertado depois de 72 horas de interrogatório graças à intervenção de amigos junto a autoridades do regime. Depois disso, retornou aos poucos às atividades de critico, escritor e jornalista.

 https://www.noticiasaominuto.com.br/brasil/314761/morre-o-poeta-ferreira-gullar-aos-86-anos

Leia mais em:http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2016/12/1838326-poeta-ferreira-gullar-morre-aos-86-anos-no-rio.shtml 

sábado, 3 de dezembro de 2016

Luz Própria


LUZ PRÓPRIA
(Lauro Daros)

Ao raio, 

suficiente um piscar de olhos:

missão concluída.

Os efeitos ecoam breves no tempo;

no espaço, prolongam-se pouco mais,

talvez além das montanhas,

só.

Muitas pessoas mal são raios,

outras nem brilham.

Raras ecoam no tempo e no espaço.


Estas, 

de luz própria,

aquecem,

energizam, 

iluminam,

são imprescindíveis!