domingo, 12 de fevereiro de 2017

A geografia do amor!


Como pode um amor tão grande assim?


Um amor tão grande assim, não cabe em mim.
Despejou-se mundo a fora à procura de outros corações.
Quer um abrigo, um aconchego, um ficar
Na calma de um conforto amoroso,
Que só outro coração poderá abrigar.


Corre feito um rio caudaloso em busca do seu oceano,
E por onde passa, deixa terra fértil preparada.
Segue na busca incessante de uma chegada,
De ser um só – na mistura com outros,
Na sobrevivência com seus afluentes.


Percebe que hoje o mundo não é mais o mesmo,
Descrente de tudo e de todos,
Sua oferta não é aceita.
Vê secando suas águas – suas lágrimas,
Deixa assim, de regar os benefícios da paixão.


Segue só – seu oceano é de outros rios,
Mergulha nas intempéries de sua mente,
Onde encontra ressacas de um grande amor,
E deixa-se embalar por um despedir-se,
Do sol – das águas – dos rios – do mar.


Por um estreito caminho debate-se,
Arranha-se. Machuca-se. Entrega-se.
Secou, na busca e na entrega de um grande amor.
Como pode um amor tão grande assim...
Não caber em mim?


Célia Rangel


7 comentários:

  1. "... o mundo não é mais o mesmo"
    sob todos os aspectos.

    ResponderExcluir
  2. Lindo cada verso.Inspiração maravilhosa, intensa! beijos, chica

    ResponderExcluir
  3. Uma metáfora grande e brilhante!
    A sublimidade textual que a que nos habituou...
    Excelente Domingo, estimada poetisa.
    ~~~ Abraço ~~~

    ResponderExcluir
  4. Célia teus versos tão belos, intensos, nos fala a alma, linda não cabe no coração então se expande e toma conta de nossa alma, bjos

    ResponderExcluir
  5. Olá, Célia.

    Bela "geografia" de um amor tão bem "mapeado" nesses versos que nos fazem sentir e pensar.

    Um abraço e uma boa semana.

    ResponderExcluir
  6. Célia
    Belos traços a fazer a foto do amor do amor, de tal modo que esse, se tornar-se eclético.
    Agradeço que veja, leia e comente BRASIL - O SORRISO DE DEUS.
    Ilha de Santa Catarina
    http://amornaguerra.blogspot.pt/

    bjs

    ResponderExcluir
  7. Que lindo, Célia! Cada verso, uma sensibilidade diferente, uma visão bonita, um traçado extremamente poético.

    Por um estreito caminho debate-se,
    Arranha-se. Machuca-se. Entrega-se.
    Secou, na busca e na entrega de um grande amor.
    Como pode um amor tão grande assim...
    Não caber em mim?


    gostei imensamente.
    Beijo!

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.