sábado, 25 de março de 2017

Poemas aos Homens do nosso Tempo


Amada vida, minha morte demora.

Dizer que coisa ao homem,

Propor que viagem? Reis, ministros

E todos vós, políticos,

Que palavra além de ouro e treva

Fica em vossos ouvidos?

Além de vossa RAPACIDADE

O que sabeis

Da alma dos homens?

Ouro, conquista, lucro, logro

E os nossos ossos

E o sangue das gentes

E a vida dos homens

Entre os vossos dentes.



Hilda Hilst




10 comentários:

  1. Completamente atual esse poema! Linda escolha,Célia! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Uma escolha magnifica.
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  3. Pode dizer: "Ver, julgar e agir"... Abraços

    ResponderExcluir
  4. No momento que estamos atravessando, com terrorismo em todos os cantos, com uma mega corrupção no nosso país, com ideologias equivocadas, países com fome, com sede, com falta de amor e solidariedade... o que dizer dos homens do nosso tempo?
    NADA. Nada me vem à cabeça... Apenas algumas palavras ríspidas, mas que retratam toda a realidade.
    Ótima postagem, Célia! Temos de colocar pra fora nossas tristezas e decepções.
    Beijo, um ótimo fds.

    ResponderExcluir
  5. A comum desilusão perante a maior parte dos homens políticos do nosso tempo.

    ResponderExcluir
  6. Apressados e apreçados, os homens vão se perdendo e fazendo com que se percam outros tantos.

    Um abraço e uma boa semana.

    ResponderExcluir
  7. Boa pergunta Célia, quase todos perdido no lamaçal da corrupção. Resta-nos esperançar...
    Desejo bom fim de tarde de domingo!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Versos... linguagem poética , mas precisa e assertiva...
    Um poema brilhante...
    Abraço, Célia.
    ~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
  9. Um poema belo, forte e real, o que sobra no meio de tanta podridão? Difícil responder, bjos Luconi

    ResponderExcluir
  10. Não sabemos da alma além do que a poesia conta! lindo

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.