segunda-feira, 15 de maio de 2017

Terminou... o furacão consumista!

Felizmente, chegou ao fim "o comprar para homenagear as mães"...
Como não entendem nada de nós!!
E, a Vida continua...

"O tempo passa, mas a vida continua. Forte, firme, renovada.
Tudo muda nas formas sucessivas, porém a alma segue em frente.
Vai mudando vestes e corpos fazendo em seu Eu uma devassa, na avaliação constante entre o bem que fez e o mal que passa.
No oceano das recordações brilham impolutos os momentos em que sua luz brilhou.
Uma gota de luz, ainda que pequena, ilumina a alma e nunca se apaga. Mesmo que seja esquecida, ela continua lá, oferecendo a clareza da sabedoria."

Zíbia Gasparetto



10 comentários:

  1. Verdade!1 Tudo é motivo pra consumir...Adoramos ganhar presentes, mas não precisamos de coisas complicadas...O que vale mesmo é o carinho e amor! bjs, chica, linda semana!

    ResponderExcluir
  2. Na verdade estou enfastiada de tanto consumismo, pra quê? Presente não quer dizer nada, muitos dão no Natal, Páscoa, Dia das mães, dos Pais, das crianças... por desencargo de consciência, seguir a boiada que são os comerciantes ardilosos. Até fico com pena de ver tanta gente comprando, comprando... O sentimento deveria ser outro. A maior loucura é no Natal. Vários presentes numa data só. Após, vem as férias, impostos, seguros, viagens etc...Mas o negócio é fortíssimo!
    Beijo, Célia. Acho que sou mais realista do que deveria...

    ResponderExcluir
  3. Bom dia, Célia.

    O essencial é essencial e não dá para comprar. O resto, é o resto.

    Um abraço e uma boa semana.

    ResponderExcluir
  4. O maior presente que as mães querem ganhar é ver seus filhos felizes, respeitados, homens e mulheres dignas para enfrentar esse mundo tão conturbado. Elas querem amor, carinho, ternura e respeito. Beijos e uma semana de paz e amor.

    ResponderExcluir
  5. O triste é ver postagens com as mães, presentes e tantas outras demonstrações de carinho que se reservam apenas a esse dia.
    Grande abraço Célia!

    ResponderExcluir
  6. Essa de compras é uma chatice das maiores, Célia. Adquirir é o que menos importa. O que mata mesmo é o 'será que ela vai gostar disso?' Melhor é você levar flores, aquela braçada de respeito. Não tem erro.
    Abraço, amiga!

    ResponderExcluir
  7. OI CÉLIA!
    TAMBÉM SOU CONTRA TANTO CONSUMISMO, PARA QUÊ? MAIS VALE UM ABRAÇO SINCERO E CARINHOSO, PRINCIPALMENTE PARA AS MÃES.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Trata-se de uma manipulação comercial muito bem feita.
    E a gente vai caindo, porque as mães o merecem...
    Bom fim de semana, amiga Célia.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  9. Boa tarde Célia! Gostei da postagem, realmente, tudo é motivo para consumirmos cada vez mais. Querida, um final de semana abençoado. Abraços

    ResponderExcluir
  10. Célia, esse consumismo
    Não passou; ele perdura
    No hábito da criatura
    Empobrecida - o que cismo.

    Há lacuna ou um abismo
    Entre o querer e a figura
    Do que pode ser, sem cura,
    Doutrina do catecismo.

    Se o homem fosse um ser
    Feliz em só não querer,
    Seria ser soberano.

    Porém instinto e prazer
    Fazem o homem conceber
    Ser mais que um ser humano.

    Grande abraço. Laerte.

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.