sexta-feira, 9 de junho de 2017

Bem- me- quer



É supremo
Supremamente excelso
Na mais alta dignidade de vidas
Que se encontram
E se doam
Terna e eternamente
Gratuitamente assim
É o amor
Amado
Reverenciado
Vivido em toques, sorrisos e lágrimas
Essas irrigaram as sementes
Para novos amores brotarem
Que seguem outros caminhos
Mas, amores todos.

Célia Rangel


5 comentários:

  1. Que beleza de poesia! Adorei,Célia! bja, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Muito bem versejada a essência do amor!
    Bjinho, Célia :)

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde, Célia,
    é supremo o amor que se encontra, que se doa,
    e as sementes regadas com as lágrimas deste amor,
    só fazem brotar mais amores que para longe vão....
    Belíssimo,beijos!

    ResponderExcluir
  4. CÉLIA RANGEL,

    é supremo, supremamente frustrante...desculpe falo do outro SUPREMO que acaba de derrotar a esperança dos brasileiros por uma politica livre de tantas roubalheiras , falcatruas e falta mínina de caráter.
    Repito, desculpe ter inserido este mal-me-quer aqui no seu maravilhoso poema!
    Mas foi inevitável.
    Um abração carioca na espera de dias mais dignos para todos nós!

    ResponderExcluir
  5. Olá Célia, o teu poema é belo demais, a essência do amor perfeito, este amor é tão raro aqui em nossa Terra, como seria bom se todos o sentissem e o vivenciassem, adorei, bjos

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.