terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Sempre – o Fazer



Experimentar – isso é o que quero

Ainda há muito por fazer

Criatividade explode em mim – sou humana

Não nasci – fui  inventada

Não me entrego às rotinas

Elas me fazem bem – às vezes

No mais minha alma quer mais

Quero mais experiências de vida

Meus limites me permitem errar

E recomeçar

Porque faço e não temo – conquisto

Data estipulada: – hoje e sempre

Novas experiências de vida para viver

Na sinceridade quero planar amores

Essa é a minha coragem de ir além

Sou mulher real não fantoche

Não carrego lamentações na minha estrada

Extravagante sim – mas muito objetiva

Em sentimentos, palavras e ações

Vida inventada e vivida apaixonadamente

A todo o momento: fazer... fazer e refazer...

Receita do bem viver!



Célia Rangel



sábado, 28 de janeiro de 2017

Reflexão em poema...

DEUS AMOR 
(Lauro Daros)

DEUS AMOR,
infinitamente livre  e infinitamente libertador,
possibilita às suas criaturas serem
infinitamente livres e infinitamente libertadoras...

A criatura humana,
gerada à imagem e semelhança de DEUS AMOR,
deturpa, suja e rebaixa a imagem do CRIADOR
usando as religiões
para pregar um “deus” irreal:
espião e vingativo,
cheio de normas, moralismos e julgamentos
que causam escravidão,
tristeza, medo, remorso,
ansiedade, angústia, trauma...

Quem crê em DEUS infinitamente AMOR
não crê em condenação,
porque é totalmente ilógico e loucura que
do AMOR
possa surgir algum mal e sofrimento.

DEUS AMOR
é puramente saúde, alegria, liberdade...
E não é preciso sentir saudades,
porque Ele está sempre entre nós
e dentro de nós.



terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Amores são assim...


Segredos sagrados envolvem mistérios
Dilemas tragados pela vida sedutora
Sabe-se o significado de cada um
Olha-se com terna compreensão
Deixa-se a revelação em sonhos
Abastece-se assim, projetos platônicos
Há um ciclo existencial a se cumprir
Que talvez se concretize ou desmorone
Sua coragem precisa ser vigorosa
Sair das mesmices e extasiar-se
Pelo eterno apaixonar-se pela vida
Enfrentar de mente e alma limpas
Adaptar-se às novas esperas e fantasias
Assim, na intimidade, vive-se por inteiro.
Creia e sê feliz, se assim o desejar...

Célia Rangel
(Google: Flor Amor Perfeito)

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

A DANÇA DA VIDA


O ritmo pode não ser do meu agrado.
Mas tenho de acertar o passo no compasso.

De nada adianta o desencontro...

Estar bem primeiro comigo e depois com o outro...

Revitalizo assim minha alma,

Para enfrentamento dos dissabores.

Em meu interior me aconchego amando-me,

Querendo-me um bem enorme!

Revisto-me de coragem para me proteger,

Não deixar que me usem... não sou descartável...

Objetividade naquilo que quero,

E, fé naquilo que sou e posso,

Transformam meu mundo aqui e agora.

Célia Rangel

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Livre é o Pensar


O valor do discernimento é imensurável

Pode a ansiedade querer atravancar esse equilíbrio

Mas desviar da mesma é atitude sábia da essência da vida

Livre arbítrio é relativo, pois há leis a cumprir

Manobras são necessárias para escapismos confortáveis

Desejos, anseios, momentos não podem entrar no desvio

Escreva sua história, com sonhos e cerca-te de coerência

Na dimensão do teu humano permita entrar quem te faz bem

Agregue o poder que a magia do encontro produz

No ato de celebrar pessoas e afetos permanentes

Reside a realidade da confiança em se pertencer

Protagonize delicadeza e gratidão em silêncio

Que haverá sempre a sonoridade de se amar sem imposição



Célia Rangel



quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Sintonia

Sintonia é olhar para uma multidão de pessoas
E construir uma ponte com um único olhar.

Beleza é declamar poemas pelo jardim e descobrir-se semente
E permitir que uma árvore possa nos ler e desafiar.

Surpresa é extasiar-se diante do céu estrelado
E acarinhar uma única estrela que fisgou os sentimentos.

Sensibilidade é deixar-se encharcar pela chuva
E continuar sentindo cada gota de água a inundar.

Sintonia é apreciar as cores do amor em um espaço inesquecível
E escutar uma lágrima de saudade que suavemente aquece o olhar.

Beleza é acompanhar a leveza de uma borboleta a voar
E aprender a transcender-se sem pressa para pousar.

Surpresa é inebriar-se na eternidade de cada momento
É banhar-se com a luz do luar na docilidade de amar.

Sensibilidade é abrir lentamente as mãos para um pedido
E intuir uma resposta musicada ao pé do ouvido.

[Amor em Poesia / Canísio Mayer / 31]



"O homem não morre quando deixa de viver, mas sim, quando deixa de amar"
(Charles Chaplin)



sábado, 14 de janeiro de 2017

CONTEMPLAR



Mansamente invadiu-me o contemplar
em busca de luz...

Delinearam-se novos caminhos
no relacionar-se com as emoções.

Regras abolidas e mentes aquecidas
em encontro livre de preconceitos...

Sentir perfumes e sabores, olhares de total magia,
é ver o reflexo de almas
que abrem caminhos em outra dimensão...

Com vestes de liberdade, decência e respeito à individualidade,
transformar hábitos mortos
em saudáveis expressões de afeto e ternura.

Dar espaço para o processo de semear, crescer
e viver a juventude outonal da vida...

Sentir-se livre para amar sem qualquer obrigação
sendo cúmplice tão somente,
das gentilezas, das alegrias e dores,
dos momentos de luz e duvidosos...

Fazer uma revolução silenciosa
com armas simples da sensibilidade,
sem fronteiras ou muros, apenas vibrar
interiorizando o silêncio do amor pleno.


Célia Rangel









quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Bagagem Emocional




Hoje eu quero apagar a luz do meu olhar
E tatear espaços vazios com o seu ir
Alimentar lembranças de sabores e cheiros
Que ficaram no ar na sua chegada e partida...


Em pensamento o longe se dilui...
Há o espaço onde moram os desejos
Desafio a tristeza do coração
Onde já não há morada para ela.


Toquei-me pela paixão de viver
Embriaguei-me com doces momentos
Levarei comigo a certeza da saudade
Herança por amar demais o amor.


Levo minha bagagem de sonhos e ilusões
Leve, bem leve, pois a realidade é outra
E que a cada reencontro,
Entendamos a essência do nosso existir.


Célia Rangel


quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

BÚSSOLA NO RETROVISOR



Existem um muro e uma ponte em cada decisão.
Convivem uma brisa e um mistério em cada convicção.

Existem inúmeras chaves e portas na felicidade.
Convivem firmeza e um cinto afivelado na responsabilidade.

Existem surpreendentes lentes e cores na realidade.
Convivem sinais e reais oportunidades nas dificuldades.

Existem uma imaginação e criatividade em cada papel em branco.
E uma musica sem partitura sendo gestada no encanto.

Existem uma flecha e um horizonte em cada olhar
E uma águia com asas de fogo na coragem de amar.

Existem vários remos que orientam a bússola da consciência
E uma mochila semivazia na bagagem de cada vivência.

Existem muitas estradas em todos os momentos
E um farol na encruzilhada em cada sofrimento.

Existem várias exclamações e reticências em cada novidade
E um iceberg  enigmático na fácil unanimidade.

Existem muitas caixas de som na sonoridade da cada poesia
E três ouvidos bem atentos na suavidade da sabedoria.


Existem várias gaiolas no jugo da submissão
E uma virtude embaçada no engano da ilusão.

Existem várias auroras em cada anoitecer
E um anoitecer em cada amanhecer.

Existe um arquipélago de luares na satisfação
E uma constelação de desejos em cada paixão.

Existem uma bússola, um retrovisor e um olhar.
Existe um barco ainda atracado voltado para o alto mar.



“O amor é grande e cabe nesta janela sobre o mar.
O mar é grande e cabe na cama e no colchão de amar.
O amor é grande e cabe no breve espaço de beijar.”
(Carlos Drummond de Andrade)

Fonte: AMOR EM POESIA – p. 3

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Revendo 2006...


Acreditar

Palavras soltas murmuradas
De saudade
De afeto
De curiosidade
De falta de assunto


Crer em expressões soltas
Em pessoas sem alicerce
Em olhares curiosos
Em devaneios


Que alimento indigesto, nauseante
Palavras soltas
Fingidas
Estereotipadas


Chocante é ver justificativa
Do injustificável
Do implacável
Do que está determinado.

Legnarc
CRangel
Maio/06

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

SONHO para ser AMADO


Tanto amor para ser amado e tanto tempo para ser aproveitado.
Tanta curiosidade para ser incentivada e tanta ternura para ser alimentada.


Tanta alegria para ser vivida e tanta gentileza para ser acarinhada.
Tanta esperança para ser atualizada e tanta saudade para ser interpretada.


Tanta coragem para ser encaminhada e tanta simplicidade para ser inventada.
Tantos desafios para serem enfrentados e tantos lugares para serem visitados.


Tantas sementes para serem plantadas e tantas pontes para serem construídas.
Tanta alegria para ser felicitada e tanta paz para ser instaurada.


Tanta imaginação para ser libertada e tanta criatividade para ser impulsionada.
Tanta oportunidade para ser descoberta e tantas portas para serem abertas.


Tanta sabedoria para ser saboreada e tanta festa para ser festejada.
Tanta novidade para ser encantada e tanta intuição para ser escutada.


Tanto sentimento para ser respeitado e tantos objetivos para serem realizados.
Tanto desejo para ser desejado e tanto sonho para ser sonhado.



Fonte: Livro: Amor em Poesia, Canísio Mayer  – pág.: 51




segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Suavidade



Dentro
Obscuro / quente

Fora
Luz / gélido

Atração
Por mais que fuja
Caio dentro

Realidade
Por mais que negue
Vivo fora

Contágio
Temperatura / corpos
Dentro ou fora

Verdade
Transpira no olhar

Palavras desgastam o momento
Silencio-me
E tudo faço entender

Há um ser que vê
E outro que sente
Deixo fluir

Só assim nessa viagem
Ainda que ilusória
Posso ser feliz

Calada
Simplesmente calada


Célia Rangel