terça-feira, 17 de abril de 2018

Meu Caleidoscópio


Ah! Meus cacos coloridos...
Às vezes de vidro, outras de papel,

Às vezes barulhentos, outras silenciosos...

Sempre posicionados à espera humana,

Que vira e se revira conforme o momento.

Formam figuras diversas mediante mudanças:

-  exteriores ou interiores...

Nem sempre cacos belos, suaves,

Muitas vezes machucam e agridem,

Mas sempre com uma perspectiva

De colorir a imaginação do mundo ao redor.

Primavam pela simetria,

Hoje, deixo rolar... por me amar!



Célia Rangel


9 comentários:

  1. Adorei...E que bom ter caquinhos coloridos pra esse caleidoscópio da vida preparar! bjs lindo dia,chica

    ResponderExcluir
  2. Tive um em criança... era um deslumbramento numa altura em que não havia brinquedos eletrónicos
    ou estúpidos.
    A analogia está interessante... o perfeito tende a obcecar e
    aprender a nos amar é sumamente importante.
    Abraço, Célia.
    ~~~

    ResponderExcluir
  3. Puro sentimento em forma d e poesia...adorei!
    Sempre bom te visitar Célia.
    abraços carinhosos meus.

    ResponderExcluir
  4. Há cacos bem bonitos...
    Belas palavras acerca dos "cacos", parabéns.
    Continuação de boa semana, amiga Célia.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. A vida é um imenso caleidoscópio: umas vezes mais colorida, outras menos; mas sempre às voltas, sempre em torno da beleza, do amor, da harmonia.

    Beijinho.

    ResponderExcluir
  6. Por uma simples lembrança, lembrei dos cacos sonoros e coloridos do "Mensageiro do vento" - O vento provoca os sons dos vidros; abrigado do sol,'deixo a vida rolar'.

    ResponderExcluir
  7. Um poema, além de lindo, intenso!
    Beijos!

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.