quinta-feira, 12 de abril de 2018

O Proibido


Tudo o que é proibido tem um sabor de loucura, aventura, prazer, sabor de quero mais!
Inúmeras vezes, depois de obtermos o desejado, mudamos nosso foco.
Passamos a buscar mais e mais. Fazemos pessoas de marionetes, e vamos manipulando-as conforme nosso desejo!
A modelagem disso tudo nem sempre é agradável para quem que processa, e muito menos a quem é processado… Muitas vezes, com resultados desastrosos…
Observem as leis existentes. Em geral, são proibitivas, coercitivas mesmo. Isso nos gera um estado de pavor às mesmas. A rebeldia. Contrário da serenidade. Uma visão distorcida das regras de uma boa convivência social. 
Falta o bom senso, palavra que substitui com muita propriedade as regras de uma disciplina rígida de outrora! Em tudo é o bom senso, o equilíbrio que deve prevalecer.
Resquícios de uma adolescente da década de 60, período áureo do confisco da liberdade… Burlar leis & ordens era um ponto de honra. Criticidade hiper aguçada, pós revolução das normas sociais, movia-nos a paixão por provar numa equação de vida, que o “instituído” jamais seria “norma vigente” em nossa esfera de vida. Nascia assim o consenso? Ou não...
Carregando esse perfil para a idade adulta, vemos hoje que, nem sempre, o comum, o mais simples é o pior ou ineficiente. Ao contrário, voltamos às origens desde a alimentação (o império dos orgânicos… e a horta que tínhamos na porta de nossas casas…), até aos nossos relacionamentos diários. O simples é o saudável, sem sombra de dúvida!
Nessa fase de nossa vida, a maturidade, nos leva a uma complacência generalizada de tudo e de todos. Sabemos ouvir mais, analisar, ponderar e só depois, opinar. Simples assim... Autenticidade.
generosidade! Flui abundante, esparrama-se pelos caminhos que ainda percorremos na busca incessante do querer bem.
Ah! O amor… chega de mansinho… e fixa-se por um longo tempo (ou não…) sendo muitas vezes, para sempre!
Generosidade de almas!
Pense nisto, e permita-se rever normas, regras, conceitos que o limitam tanto!
Célia Rangel
Resultado de imagem para liberdade

5 comentários:

  1. UAU!!! Usaste e tocaste em palavras que tanto falam: amor,generosidade, autenticidade...Tudo isso, usado com equilíbrio e bem dosado... Podemos mesmo rever e fazer rodar "filmes" de nossas vidas! Adorei! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Um aplauso ao seu texto:)) Adorei de verdade:))

    Hoje:- Ainda chove no meu caminho...
    -
    Bjos
    Votos de uma boa Quinta-Feira

    ResponderExcluir
  3. Célia, minha querida, você é uma romântica.... (mas eu também...) Será preciso dizer algo mais?!

    Beijinho.

    ResponderExcluir
  4. Que bonito Célia!
    Lucidez e sabedoria que o tempo nos confere, quando estamos abertos e sensíveis às movimentações desta vida.O final define bem este processo, permita-se ao novo, ao renovar-se, ao que nos limita.
    Bravo Célia nesta reflexão maravilhosa.
    Um bom lindo fim de semana.
    Meu terno abraço de paz e luz.

    ResponderExcluir
  5. Foi uma leitura muito agradável de um texto
    pleno de verdade e sabedoria.
    Abraço,Célia.
    ~~~

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.