terça-feira, 12 de junho de 2018

Amar, minha única overdose.


De repente a busca
muitas vezes distante
do  que está tão próximo!

Em desalento, preferimos ficar só.
Então, passamos a amar:
a  solidão,
a privacidade,
a  serenidade,
a fantasia.

Preservamos misteriosamente
uma imagem,
que se revela em possibilidades,
e o sentimento cresce.

Acasalamos a alma, com o desejo,
na magia de uma única realização,
a de amar, sem questionar.

Eclipsamos, quando deveríamos ousar!
Amores passam por nossa vida...
Não há retorno.
Como amar sem transgredir e se aventurar?

Célia Rangel




14 comentários:

  1. Mas uma optima overdose :))

    Hoje: -Careço das tuas palavras de conforto .

    Bjos
    Votos de uma óptima Terça-Feira

    ResponderExcluir
  2. Linda poesia e todos temos que viver o amor! Feliz dia! bjs, chica

    ResponderExcluir
  3. Bom dia, querida amiga Célia!
    Impossível amar sem transgredir!
    A gente ultrapassa barreiras ... nosso próprio querer... mil coisas intransponíveis...
    Linda mensagem que frisa bem a ousadia do amor.
    Seja muito feliz e abençoada junto aos seus amados!
    Bjm fraterno e carinhoso de paz e bem
    😚😍💟

    ResponderExcluir
  4. Bom dia amiga Célia!
    Seu poema é uma obra de arte, no amor os acontecimentos são fenomenais, por vezes desagradáveis, mas não há quem não queira experimentar a aventura de amar.
    Destaco
    "Eclipsamos, quando deveríamos ousar!
    Amores passam por nossa vida...
    Não há retorno.
    Como amar sem transgredir e se aventurar?"
    da apreciação aos meus versos.

    Dia de bençãos e paz!
    Grande e fraterno abraço!
    Diná

    ResponderExcluir
  5. Um poema belíssimo, quer no aspeto composicional, quer no aspeto formal, lírico e mensageiro.
    Gosto do modo como organiza a sua poesia de ajuda, afinal é uma bondosa benemérita. Grata.
    Abraço, Célia.
    ~~~

    ResponderExcluir
  6. Poesia linda que enaltece o amor e vamos viver com alegria esse sentimento pleno!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Os seus poemas são poderosos, Lindos!
    Feliz feriado
    =))

    Bjinhos

    ResponderExcluir
  8. Celia, o amor é mesmo uma grande aventura! Que linda e tocante poesia, adorei! bjs

    ResponderExcluir
  9. Hoje em dia é cada vez mais raro um amor doação... preferimos nosso amor por nós mesmos!
    Grande abraço Célia!

    ResponderExcluir
  10. Olá Célia querida

    Que lindo seu poema...
    O amor é um sentimento inexplicável, mas que você explica tão bem.


    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  11. E muitas vezes o amor só passa à porta uma vez...
    Magnífico poema, parabéns.
    Bom fim de semana, amiga Célia.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  12. O amor. Aí está algo do qual podemos abusar por nunca faz mal...
    O seu poema é uma reflexão sobre o amor que vai passando por nós…
    Um bom fim de semana, Célia.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  13. Sem cerimonia o amor como prato do cotidiano,
    servido em largas bacias para se esbaldar e se fartar.
    Belíssima construção Célia.
    Meu abraço

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.